mostreliableonlinecasino -A Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA) do Senado aprovou, na tarde desta quarta-fe

Após articulação da mostreliableonlinecasino -bancada ruralista, marco temporal retoma

A Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA) do Senado aprovou,ósarticulaçãmostreliableonlinecasino - na tarde desta quarta-feira (23), a proposta que legaliza o marco temporal. Defendida pela bancada ruralista, a proposta recebeu sinal verde de 13 parlamentares e três votos contrários. Não houve abstenção. A medida, que está expressa no projeto de lei (PL) 2903/2023, deve seguir agora para a Comissão de Constituição & Justiça (CCJ). Caso seja chancelado pelos membros do colegiado, o texto deverá ir ao plenário.

Continua após publicidade

O aval da CRA é para o parecer da senadora Soraya Thronicke (Podemos-MS), que defendeu a aprovação integral do texto que havia sido encaminhado pela Câmara dos Deputados. A parlamentar recusou sugestões de emenda. Além dela, votaram a favor do PL 2903 os senadores Jayme Campos (União-MT), Izalci Lucas (PSDB-DF), Sergio Moro (União-PR), Ivete da Silveira (MDB-SC), Wilder Morais (PL-GO), Sergio Petecão (PSD-AC), Margareth Buzetti (PSD-MT), Hamilton Mourão (Republicanos-RS), Vanderlan Cardoso (PSD-GO), Teresa Cristina (PP-MS), Jorge Seif (PL-SC) e Zequinha Marinho (Podemos-PA). Já os senadores Eliziane Gama (PSD-MA), Beto Faro (PT-PA) e Humberto Costa (PT-PE) se posicionaram contra.

:: Indígenas pressionam por reunião de urgência com Pacheco sobre marco temporal; PL deve ser votado no Senado na quarta (23) ::

A tese do marco temporal prevê que os indígenas só podem ter direitos a terras que estivessem ocupadas ou pelo menos em disputa desde antes da Constituição Federal de 1988. Parlamentares do campo progressista, ativistas da pauta ambiental e entidades indígenas são críticos ao texto, que foi aprovado pelo plenário da Câmara no final de maio. O segmento investe na tentativa de ampliar a pressão sobre os senadores para tentar evitar que o PL avance ainda mais no Senado.

Caso seja aprovado pela CCJ e pelo plenário da Casa, o projeto só retorna à Câmara se sofrer alguma modificação, o que é considerado pouco provável por conta da atual configuração de forças políticas no Senado. A Frente Parlamentar Agropecuária (FPA), bancada que reúne os ruralistas no Congresso Nacional, tem 50 dos 81 senadores entre seus membros.

Edição: Thalita Pires


Relacionadas

  • Indígenas pressionam por reunião de urgência com Pacheco sobre marco temporal; PL deve ser votado no Senado na quarta (23)

  • &39;Pedimos socorro&39;: comunidade Guarani Kaiowá é alvo de tiros e tem casas incendiadas em Dourados (MS)

  • Frustração e esperança: adiamento de caso do marco temporal no STF divide indígenas em Brasília

Outras notícias

  • Orçamento previsto para reforma agrária é o menor de todas gestões petistas; negociações entre governo e MST seguem

  • Presidente da Colômbia demite chefe de Gabinete e classifica nova crise de &39;golpe suave&39;

  • Greve no Metrô de SP: metroviários voltam ao trabalho e anunciam catracas liberadas

BdF
  • Quem Somos

  • Parceiros

  • Publicidade

  • Contato

  • Newsletters

  • Política de Privacidade

Redes sociais:


Todos os conteúdos de produção exclusiva e de autoria editorial do Brasil de Fato podem ser reproduzidos, desde que não sejam alterados e que se deem os devidos créditos.

Visitantes, por favor deixem um comentário::

© 2024.sitemap